ANÁLISE DE REDES SOCIAIS – DOS LIKES AO VALOR ECONÓMICO | SITEMAP 28

O “SiteMap – um guia para o marketing digital” é uma rubrica semanal da agência TRIGGER na MAIS OESTE RÁDIO, onde passa semanalmente às segundas-feiras (8:50, 11.05, 12:20 e 17:45, 23.10). No nosso blogue pode aceder à transcrição dos programas ou à versão audio através do Podcast, que também pode subscrever.


SITEMAP, PROGRAMA 28

Uma empresa que leva a presença nas redes sociais a sério não pode satisfazer-se com métricas de vaidade como o número de likes, que podem contribuir para uma sensação de sucesso mas não dizem o suficiente acerca do real valor das redes sociais para o negócio.

TRANSCRIÇÃO INTEGRAL:

Olá a todos, este é SiteMap, vosso guia para o marketing digital. Hoje terminamos uma série de programas sobre gestão de redes sociais para empresas com um programa inteiramente dedicado à análise do desempenho através de ferramentas de analítica web.

Sim, porque como frisámos anteriormente, gestão de redes sociais a sério requer uma estratégia e, dizemo-lo hoje, qualquer estratégia digna desse nome tem de incorporar uma dimensão analítica que permita avaliar a sua adequação com base em indicadores de performance – a razão é simples: o que não pode ser medido dificilmente poderá ser melhorado.

PARA ALÉM DO NÚMERO DE SEGUIDORES E LIKES

Felizmente, uma das marcas distintivas mais importantes do marketing digital em relação ao marketing tradicional é precisamente que tudo é mensurável de forma rigorosa e não apenas com base em palpites ou na intuição. No digital pode-se monitorizar em tempo real compilando informação estatística cujo tratamento permite depois otimizar a estratégia. E isto é verdade também na gestão de redes sociais.

Certamente que a maior parte das empresas que estão presentes nas redes sociais estão atentas ao número de seguidores da página ou a quantas pessoas vêem e clicam nos conteúdos partilhados, mas isso não basta. Adquirir um like, por exemplo, não garante qualquer envolvimento posterior – nem sequer que essa pessoa volta a ver os posts da empresa porque o like é uma métrica que não tem em conta o edge rank, ou seja, o algoritmo que o Facebook usa para decidir que posts são visíveis na news feed de um utilizador.

BRANDING, ENGAGEMENT E… VALOR ECONÓMICO DAS REDES SOCIAIS

A análise de redes sociais deve considerar indicadores de performance em 4 áreas: alcance (por exemplo quantas pessoas viram um post), envolvimento (exemplo: o número de comentários), amplificação (exemplo: o número de shares) e, muito importante mas raramente tido em consideração, valor económico, porque é fundamental tentar perceber se uma determinada rede social aporta valor ao negócio da empresa. Ou seja, para além de informação sobre branding e engagement – que obviamente é importante para permitir afinar o target e a estratégia de conteúdos – é necessário averiguar se a empresa consegue impulsionar as vendas.

Esta é uma análise mais sofisticada e trabalhosa mas que nenhuma empresa devia dispensar e um dos motivos principais para optar por uma gestão profissional das redes sociais. Implica complementar as ferramentas de analítica como o Facebook Insights, por exemplo, com outras existentes no mercado que possibilitam análises diferenciadas. E claro, deve incorporar as métricas do website da empresa para perceber, por exemplo, se as pessoas depois de clicarem num post ou num anúncio de Facebook acabam a pedir um orçamento ou a realizar uma compra na loja online. Para isto é necessário incluir o Google Analytics no mix de ferramentas.

EM CONCLUSÃO…

Uma empresa que leva a presença nas redes sociais a sério não pode satisfazer-se com métricas de vaidade como o número de likes, que podem contribuir para uma sensação de sucesso mas não dizem o suficiente acerca do real valor das redes sociais para o negócio. E assim terminamos o último programa desta série sobre redes sociais. Boa semana e bons negócios!

[Posts anteriores desta série sobre Redes Sociais:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.