O MARKETING NUMA ECONOMIA DA ATENÇÃO (II)

Os processos de compra começam invariavelmente pela conquista da atenção do comprador. Sendo cada vez mais escassa, esta torna-se mercadoria, é transaccionável. Frustradas algumas tentativas para regular o mercado da atenção, cabe à sua empresa saber como actuar para conseguir superar a concorrência.

UM MERCADO DA ATENÇÃO

Num ensaio de 1997, Michael Goldhaber criou o termo “Economia da Atenção”, qualificando-a como a “economia natural da Internet”. Quatro anos depois, Thomas H. Davenport e John C. Beck desenvolveram o tema no livro The Attention Economy: Understanding the New Currency of Business afirmando que a “compreender e gerir a atenção é o mais importante factor de sucesso de um negócio”.

Em 2005 foi criada a Attention Trust, com o nobre e algo ingénuo objectivo de defender os direitos dos “donos da atenção” e fundar um “mercado da atenção” assente em quatro pilares: propriedade, mobilidade, economia e transparência. O consumidor deteria o poder de escolher os sites onde a sua navegação era gravada, onde alojar essa informação, quem poderia aceder-lhe e que ofertas de serviços/produtos poderiam ser-lhe remetidos, mantendo assim o controlo de todo o processo.

Acontece que a realidade impôs-se à tentativa de a regular. A economia da atenção está, de facto, em pleno funcionamento e o Google é o seu expoente máximo. A “nossa” atenção é registada a cada click, mas o “dono” parece ter sido desapropriado.

Sem regulamentação, a competição pela atenção é feroz. Nas palavras de Brent Lear, como a capacidade de atenção está no limite, a luta é pela atenção que outros já conseguiram.

 

O QUE FAZER PARA CAPTAR O SEU QUINHÃO DE ATENÇÃO

  1. Marque a diferença – se não tiver uma ideia genial terá de bater a concorrência aos pontos e mais-valias do lado do produto são uma enorme vantagem competitiva. 
  2. Conheça o seu público – segmente-o por perfil, possua uma “estratégia de audição”, descubra o que ele precisa e aquilo que deseja; se possível, venda sonhos em vez de produtos.
  3. Ofereça conteúdo relevante – conte histórias, seja criativo sem ser vago, diversifique; não esqueça o vídeo.
  4. Contextualize – tenha uma estratégia multicanal integrada e adequada às diferentes etapas do processo de compra; optimize o seu site para capitalizar a procura de produtos/serviços que pode fornecer; entre Inbound e Outound Marketing, opte pelo Mixbound.
  5. Obtenha autorização – construa uma reputação e use-a para iniciar e alimentar uma relação baseada na confiança; recolha e mantenha uma base de dados actualizada; evite ser agressivo, ou seja-o apenas no momento exacto.
  6. Meça tudo e optimize – teste, recolha e analise informação, teste, avalie resultados, teste; não há campanhas finalizadas.

Para concretizar estes objectivos tornou-se indispensável possuir uma estratégia de marketing digital eficaz. A atenção dos seus clientes ou potenciais clientes é um bem escasso, tem de ser merecida. Esperamos ter merecido a sua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.